terça-feira, 28 de junho de 2022

Tecnologia robótica na Medicina

 


A ideia de criar e inserir robôs no dia a dia das pessoas vem de muito tempo, quando ainda eram apenas cenários em filmes futurísticos. O desenvolvimento da tecnologia não aconteceu tão de acordo como os filmes projetaram, mas os robôs já são uma realidade há anos. E apesar deste tema aparecer com frequência em livros e produções de Hollywood, o uso dessas máquinas, principalmente na área médica, ficava muito mais no campo da imaginação do que na realidade.

Num passado não tão distante, as pesquisas avançaram e o aprimoramento de hardwares e softwares, além do desenvolvimento e da popularização da internet, aceleraram a troca de conhecimentos e com isso a tecnologia começa também a se fazer presente nos centros cirúrgicos. Hoje a medicina robótica é uma realidade e já encontramos robôs na ortopedia, na oncologia, na urologia, em uma simples tele consulta e mais uma infinidade de áreas. E essa tecnologia robótica, cada vez mais presente nas especialidades médicas, visa sempre o bem-estar e recuperação dos pacientes. Mas é importante falar que mesmo marcando presença na medicina atual, os robôs ainda não têm autonomia, ou seja, dependem dos comandos de cirurgiões altamente capacitados para executar as máquinas e as atividades médicas.

Os robôs desempenham diferentes funções na medicina, de acordo com seus objetivos e ferramentas. Mas, de modo geral, eles recebem comandos de estações ou até por controle remoto, executando-os imediatamente. Nesse contexto, podemos afirmar que o uso da tecnologia robótica proporciona maior conforto ao paciente e aos profissionais. Originalmente desenvolvido pelo exército dos Estados Unidos, a tecnologia robótica foi idealizada para permitir a realização de cirurgias em soldados feridos no campo de batalha, que deveriam ser executadas por cirurgiões localizados à distância.

Hoje em dia, vários robôs, cada um com suas características e complexidades estão presentes em várias especialidades com tecnologia diferenciada, capaz de realizar tarefas minuciosas e agregar qualidade aos cuidados médicos e às cirurgias de alta complexidade. Um dos cenários mais recentes a ganhar essa tecnologia foi a ortopedia e podemos afirmar que o Brasil é um dos primeiros países da América Latina a oferecer aos pacientes o acesso a um inovador sistema robótico para uso em cirurgia de implante de prótese de joelho, a artroplastia (prótese) de joelho primária. O sistema robótico em destaque na ortopedia é o ROSA® Knee, desenvolvido pela Zimmer Biomet, empresa multinacional americana e líder global em saúde musculoesquelética, representada pela Medicalway Equipamentos Médicos em Curitiba (PR).

Na capital paranaense, o pioneiro com a tecnologia robótica em cirurgia ortopédica foi o Pilar Hospital. Foi o primeiro hospital que trouxe o robô ROSA® Knee System no ano de 2021. Com os excelentes resultados e presente em mais hospitais pelo Brasil, o ROSA® também está no Hospital Marcelino Champagnat, em Curitiba. A primeira cirurgia robótica ortopédica no país ocorreu em São Paulo no final de 2020. Atualmente, o número total de equipamentos aumentou: são sete estados brasileiros e 13 hospitais em que o ROSA® Knee System está presente. “O número de cirurgiões capacitados e certificados em cirurgia robótica ortopédica cresce rapidamente e esperamos que, em breve, mais pacientes tenham acesso a essa tecnologia.”, avalia Leonardo Souza, gerente de marketing da Zimmer Biomet.

“No ‘pool’ de novas tecnologias que invadiu a área da saúde, talvez a mais moderna, mais esperada, e também mais fascinante seja a Cirurgia Robótica. Empresas de equipamentos médicos redirecionaram recursos extraordinários para desenvolver, testar, e, finalmente, adequar os robôs-médicos para a prática diária dos hospitais. Hoje, pode-se dizer que vivemos um verdadeiro ‘boom’ de robotização nos procedimentos médicos”, comenta o Dr. Dante Grein, Cirurgião de Joelho e de Quadril do Pilar Hospital.

Quem também atua com a técnica é o Dr. Antonio Carlos Canto Tomazini, ortopedista e traumatologista, especialista em Artroscopia e Traumatologia do Esporte do Hospital Marcelino Champagnat. Segundo ele, o advento do robô trouxe maior precisão cirúrgica e possibilitou que procedimentos complexos fossem realizados de forma segura: “Por permitir uma visualização ampliada do campo cirúrgico, em alta definição e tridimensional (3D), o uso do robô garante um melhor acesso e visualização das estruturas anatômicas, possibilitando uma cirurgia mais precisa, eficaz e segura”.

Mas, diferentemente do que muitos podem imaginar, o robô não funciona de forma autônoma, todos os movimentos realizados por ele na verdade são controlados pelo cirurgião. “A função do sistema robótico é permitir ao cirurgião um movimento mais preciso e delicado, com uma visualização mais acurada e em uma posição no console que evita o cansaço ao longo da cirurgia. O robô nunca toma decisões próprias, nem executa comandos que não tenham sido ordenados pelo cirurgião”, complementa Tomazini.

As altas taxas de sucesso nas cirurgias robóticas comprovam que os pacientes que se submetem a esta técnica ortopédica mostram uma recuperação mais rápida, com menor tempo para se movimentarem de forma autônoma. Os benefícios da cirurgia minimamente invasiva em geral incluem menor sangramento durante a cirurgia, menos dor no pós-operatório, na recuperação e na mobilidade, além da qualidade de vida do paciente, quando comparado à cirurgia convencional ou aberta. Portanto, podemos afirmar que se trata de um novo cenário para a cirurgia ortopédica.


segunda-feira, 27 de junho de 2022

Jardinagem, Música ou Arte, os benefícios dessas atividades depois dos 60


Pode ser um hobby ou um passa tempo, mas o importante em qualquer época da vida e principalmente a partir dos 60 anos é participar de alguma atividade que contribua para a socialização, estimule o cérebro, a memória, a autoestima, a saúde corporal e espiritual.

Atividades como a jardinagem, música ou arte além de não requerer experiência, são de fácil aprendizado e podem despertar um interesse que muitas vezes se perdeu em algum momento da vida, seja pela rotina familiar, pela falta de tempo ou oportunidade.

Esse é o caso da jardinagem, por exemplo. Algumas vezes o contato da pessoa com as plantas e o jardim pode ter um laço histórico na infância quando era mais comum estar próximo da natureza.

Já a música traz como benefício o aumento de capacidades cognitivas através do estímulo à criatividade; o aumento de força corporal através de movimentos que tonificam a musculatura e a redução os níveis de estresse evitando o aumento da pressão arterial e frequência cardíaca.

“A música é um caso clássico. Algumas pessoas fizeram alguma aula de música na infância e depois não deram sequência, ou mesmo, sempre sonharam em tocar algo ou cantar, mas não tiveram oportunidade. Agora é a hora do reencontro de um desejo antigo com uma nova realidade que se apresenta com mais tempo para cuidar de si mesmo”, explica Isabella Simão, idealizadora da Casa Sol, um espaço que oferece diversas atividades que auxiliam na autonomia e melhoria da qualidade de vida para pessoas com mais de 60 anos.

Nas aulas de arte, o aluno tem momentos divertidos e criativos, por meio de atividades direcionadas e, também, livres, trabalhando com materiais reciclados, desenhos, pinturas, montagens, explorando as cores, formas e texturas. A proposta desses encontros é proporcionar meios para que cada um expresse seus talentos e habilidades com leveza e alegria.

A casa sol também oferece atividade de massoterapia, Reiki, psicologia, yoga e educação física.

Funcionamento: seg a sex, das 8h30 às 17h30.

Duque de Caxias 445, São Francisco - Curitiba - PR

https://www.casasol.curitiba.br/

Método Cis reúne cerca de 15 mil pessoas no Expocentro e trânsito flui normalmente


Mais um grande evento foi realizado no Expocentro Balneário Camboriú Júlio Tedesco, e reuniu cerca de 15 mil pessoas, em quatro dias. Com as intervenções realizadas no entorno do centro de eventos, o tráfego de carros fluiu sem intercorrências. “Fizemos os ajustes necessários e pudemos perceber que surtiram efeito e o trânsito não ficou congestionado”, comenta Robinson Soares, diretor técnico do Expocentro.





Foram 60 horas de imersão, em quatro dias do Método Cis, considerado o maior evento de treinamento de inteligência emocional do mundo, e que nesta edição número 226, reuniu 18 países e 24 cidades.




Serviço:

Expocentro Balneário Camboriú Júlio Tedesco

47 - 3228-1700

47 - 3228-1701

Av. Marginal Oeste- Balneário Camboriú

@expocentrobc

www.expocentrobc.com.br

Alunos de odontologia participam de ação em lar de idosos

 

O Lar de Idosos Vida Plena recebeu, no último fim de semana, estudantes do curso de Odontologia da Universidade Positivo (UP) para uma ação social. O objetivo foi capacitar cuidadores e enfermeiros e orientá-los sobre a importância dos cuidados com a saúde bucal dos idosos para a qualidade de vida.

Os assuntos abordados foram: perda dentária, doença periodontal, cárie dental, prótese dentária e lesões bucais. “Essas ações práticas buscam levar alunos para aprender e falar das causas, higienização, tratamentos, realização dos autoexames e, ainda, dar dicas de prevenção para esses idosos que dependem dos cuidadores”, explicou o professor do curso de graduação em Odontologia da Universidade Positivo Acir José Dirschnabel.

No lar, observou-se que muitos idosos usam prótese dentária. “Durante o sono, não é recomendado utilizar a prótese; o ideal é deixá-la dentro de um copo com água, até mesmo para higienizá-la”, explicou a professora Milene Albini, que também participou da ação.

Para o aluno do sétimo período do curso, Roberto Hilgemberg, essas visitas são bem diferentes dos atendimentos realizados na universidade. “Na clínica os idosos procuram o local e, aqui, nós vamos ao encontro deles, já que não possuem mobilidade para ir até a universidade. Com isso, conseguimos detectar problemas que as cuidadoras, por exemplo, não conseguem identificar, e isso é muito gratificante. Foi o caso de uma senhora que estava com a prótese solta”, ressalta.

A casa, que fica no bairro São Brás, recebeu cerca de 25 alunos que, além de examinar os internos, também distribuíram kits de Educação em Saúde Bucal. A instituição possui três lares na região, com 15 internos cada, todos morando nesses locaia há mais de 10 anos. Na semana anterior, cerca de 35 alunos fizeram uma ação semelhante com aproximadamente 90 idosos no Lar dos Idosos e Centro Dia Recanto do Tarumã, sob a orientação do professor João Zielak.

“Atividades como essas representam uma excelente oportunidade para os estudantes vivenciarem na prática a educação em saúde e prevenção bucal. Além de reforçarem a importância da atuação pautada em uma visão mais humanizada”, finaliza o professor Herbert Koch Filho, que também auxiliou a atividade.

Cia Athletica de Curitiba renova o espaço runners com as esteiras mais modernas do mercado

 

A Cia Athletica de Curitiba amanheceu nessa segunda-feira (27) com uma nova área de runners para os alunos da academia. Totalmente modernizada, a sala conta com 14 esteiras que prometem intensificar os treinos, além de deixá-los mais divertidos.

As esteiras da marca Forzz, foram instaladas no final de semana e apresentadas durante o evento “Desafio nas Esteiras”, onde os alunos se dividiram em equipes liderados pelos professores para uma corrida indoor.

O novo equipamento tem baixo ruído, diferente das esteiras tradicionais. Possui um sistema de amortecedor de alta tecnologia e é livre de manutenção, pois é equipado com um sistema de lubrificação automática. A sua área de corrida longa é ampla e oferece maior proteção e segurança ao aluno, com apoios de mãos ergonômicos em PU, confortáveis, seguros e ecologicamente corretos.

Richard Bilton, fundador e sócio da Cia Athletica, conta que as esteiras que chegam agora em Curitiba possuem uma série de inovações e vantagens únicas sobre todas as demais esteiras existentes no mercado. “O aluno vai se deparar com um equipamento que além de inclinar, também declina e atinge até 25 km/h, um diferencial para os amantes da corrida”, enaltece. A esteira também possui tela touch de 27 polegadas, 24 programas de execução inteligentes integrados e 3 programas personalizados.

“As esteiras são equipadas com um sistema de áudio de alta fidelidade por transmissão Bluetooth e possibilita a conexão com vários app de treinos, com suporte IOS e sistema Android. Para os alunos que gostam de assistir um filme enquanto se exercitam, a esteira é conectada também aos principais streaming do mercado e possibilita o carregamento do celular por aproximação”, explica Bilton. Essa atualização na unidade Curitiba faz parte do processo de renovação da academia. “Em até 24 meses está previsto a troca das demais esteiras da academia”, finaliza.